A importância do alinhamento e balanceamento Porquê você deve fazer

Quando passamos por buracos ou o pneu bate contra o meio-fio, as rodas podem ficar desalinhadas em relação ao volante. É fácil de perceber: se o carro está puxando para um lado quando o volante está reto, é porque está desalinhado, quando isso acontece é certo que é necessário fazer o alinhamento para reajustar os ângulos das rodas para que todas fiquem paralelas entre si e no mesmo ângulo que o volante.


Já o balanceamento é feito para corrigir o equilíbrio entre as rodas e os pneus, permitindo que os pneus girem sem causar vibrações. O desbalanceamento é quando uma roda está carregando mais peso do que o lado oposto. Para corrigir essa falha, é colocado um peso de chumbo medido na roda oposta ao que está segurando mais peso, distribuindo o peso total do carro em todas as rodas.
Em ambos os casos, essa falha fará com que um pneu se desgaste mais rapidamente. Uma roda desalinhada vai fazer com que as bordas dos pneus se desgastem mais. No caso de uma roda desbalanceada, ela irá trepidar e, pelo peso, o atrito será maior pelo esforço feito para conseguir girar. Além disso, podem surgir alterações na forma de dirigir, o que pode levar a acidentes.
O ideal é fazer o alinhamento e balanceamento a cada 10 mil quilômetros rodados, quando trocar os pneus, ou caso tenha passado por alguma situação que possa ter modificado a alteração na regulagem da geometria da suspensão. Descer e subir guias das calçadas, passar por buracos e valetas muito profundas ou estradas muito acidentadas, por exemplo. Então, se perceber que o carro está puxando para um lado ou vibrando demais, vá ao mecânico.


Se seu carro está com a manutenção em dia , com a suspensão e os amortecedores em bom estado , só será necessário fazer o alinhamento e balanceamento. Caso a roda tenha sofrido um impacto forte, pode ser necessário fazer a cambagem, ou seja, arrumar a inclinação da roda. No entanto, é um defeito difícil de acontecer.